19 de setembro de 2019

Publicação: Valor Econômico

Novos programas miram pesquisa no setor automotivo (Valor Econômico)

Expectativa é que iniciativas recebam até R$ 200 milhões neste ano

Por Edna Simão — De Brasília

O governo vai lançar oficialmente amanhã seis programas prioritários para o fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação do setor automotivo, assim como para endereçar problemas relacionados à produtividade e competitividade, como previsto no Rota 2030 - política de incentivo ao setor. A expectativa é que essas iniciativas recebam até R$ 200 milhões neste ano.

Cinco entidades serão responsáveis pela gestão dos projetos: Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor médio de recursos destinado por entidade deve ser de até R$ 40 milhões.

O diretor do Sindipeças e representante da entidade no comitê gestor do PPP do Rota 2030, Gábor Deák, explicou que a assinatura dos acordos é um marco para setor pois o programa incentiva a investimento em pesquisa, sem dar margem para questionamentos de organismos internacionais como aconteceu no Inovar-Auto (política setorial que antecedeu o Rota 2030).

Além disso, na avaliação de Deák, permitirá que os recursos já recolhidos de indústrias que importaram peças que não são produzidas no país comecem a ser destinados para o investimento de pesquisa e inovação.

A expectativa é que no fim de outubro os recursos já cheguem nas entidades gestoras dos projetos. A fonte de custeio dos programas prioritários é a contrapartida à isenção do Imposto de Importação prevista no regime de autopeças não produzidas no país. Para se beneficiar com a isenção, as empresas habilitadas ao regime especial precisam aportar 2% do valor das importações nos programas selecionados pelo Conselho Gestor dos Programas Prioritários e credenciados pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade.

Nessa política, as empresas importadoras habilitadas escolhem um ou mais dentre os programas previamente credenciados e realizam mensalmente os aportes, na proporção de suas importações. Esse recurso não passa pelo governo, uma vez que a importação dessas peças, segundo a lei, é isenta. O governo, com auxílio do conselho gestor, faz o acompanhamento e monitoramento da execução dos programas.

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, explicou que, caso uma empresa queira desenvolver um projeto de inovação, como uma bateria para um projeto de carro elétrico, pode se habilitar no programa prioritário e procurar uma das cinco entidades selecionadas, que irá ajudar a desenvolver a peça para o carro elétrico. Além de desenvolver projetos, as empresas poderão investir em novas áreas como internet das coisas, manufatura 4.0, digitalização de produção e conectividade.

20 de Setembro de 2019

Publicação: Agência Estado Conjuntura e Finanças

Anfavea e Economia lançam cinco pontos prioritários do "Rota 2030", com fundo de R$ 1 bi</p>

Por: Francisco Carlos de Assis

São Paulo, 20/09/2019 - A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) lançou hoje, em São Paulo, em parceria com o Ministério da Economia, os programas prioritários do "Rota 2030". São cinco focos que começam com produtividade, passando por Indústria 4.0, incentivo à Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), diminuição do impacto ambiental e melhorar a eficiência energética.

Foram assinados vários acordos de intenção entre a Anfavea e o Ministério da Economia, representado no evento pelo secretário de Produtividade e Emprego, Carlos da Costa, com entidades como Finep, Fundep, Ambrapii, BNDES e Senai.

Para atender a estes cinco eixos, de acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Morais, será criado um fundo com recursos privados que atingirá cerca de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos, sendo que os desembolsos anuais serão da ordem de R$ 200 milhões.

Cada eixo vai receber cerca de R$ 40 milhões por ano para desenvolver projetos em suas respectivas áreas de atuação para compor a proposta mais ampla "Rota 2030".

Segundo o gerente-executivo do Senai para Inovação e Tecnologia, Marcelo Fabrício Prim, um dos cinco eixos é o aumento de produtividade, que é onde a entidade irá atuar. "Neste eixo, a gente criou uma proposta de aliança do setor automotivo. São grandes companhias trabalhando com empresas de autopeças", disse ao explicar que as grandes empresas têm um tributo a ser pago por não produzir no Brasil uma determinada peça ou sistema que, pelo "“Rota 2030", deveria estar sendo fabricado no País.

Esse tributo é pago aos programas prioritários que têm contas correntes abertas e divulgadas. As empresas é que escolhem em que programa ela vai depositar o valor equivalente à multa.

"Pode ser na conta da Finep, do BNDES, do Senai e daí por diante. Mas o Senai não quer só o valor do tributo. Queremos que a empresa traga também seu valor intelectual. Por isso criamos um curso de pós-graduação aplicada para executivos das empresas que contribuíram para o fundo", disse.

O secretário Carlos da Costa disse se tratar de um dinheiro que vem da iniciativa privada para a iniciativa privada e que, por isso, não se corre o risco de os recursos serem submetidos a contingenciamentos, como o que as contas públicas vêm sofrendo na atual gestão para atender o ajuste fiscal.

"O maior obstáculo à inovação das empresas no Brasil é o Estado pesado e intruso", disse o secretário, para quem são as empresas que entendem de inovação e são elas que têm que financiar os programas de P&D.

19 de Setembro de 2019 (12:34)

Publicação: Canal Executivo - Notícias

Maestro Frotas e Kovi assinam acordo de R$ 30 milhões

A Maestro Frotas, uma das principais empresas do País dedicadas à locação de frotas corporativas, anuncia, em parceria com a Kovi – empresa voltada à locação de veículos para o mercado de transporte por aplicativos – um dos maiores acordos do País para locação de carros aos motoristas de apps de mobilidade urbana. Pelo acordo, a Maestro fornecerá à Kovi 950 veículos – além dos 400 carros já em circulação -, até o final do ano, o que representará um investimento superior a R$ 30 milhões na ampliação de sua frota, atualmente de cerca de 4 mil veículos.

A Kovi, por sua vez, que conta hoje com 1,8 mil carros sublocados, prevê superar a marca de 5 mil veículos até o final do ano, avançando em sua meta de se tornar o maior player de locação exclusivamente para motoristas de aplicativos do mercado brasileiro. "Este acordo dará capacidade para que as duas empresas avancem, conjuntamente, no mercado de mobilidade urbana, com foco nos motoristas de aplicativos", afirma Fábio Lewkowicz, presidente da Maestro Frotas.

O CEO da Kovi, Adhemar Milani Neto, destaca que a empresa pretende ampliar a parceria com locadoras de veículos de pequeno e médio porte, para maximizar a capacidade de atendimento e contribuir para que essas empresas aumentem sua vantagem competitiva e cresçam com as oportunidades que o mercado de mobilidade urbana oferece. Os novos lotes de veículos serão direcionados a localidades ainda não atendidas pela Kovi.

A estimativa é de que cerca de 600 mil motoristas trabalham hoje com aplicativos de carros no Brasil, sendo que 30% da frota utilizada é alugada. A Kovi já é uma das principais locadoras de veículos para este segmento. Dentro do seu plano de expansão, a Kovi trouxe dois profissionais do mercado para integrar seu time de lideranças: Bruno Mantecón, ex CEO Brasil da Easy Taxi, que passa a ocupar o cargo de Diretor de Operações, e Fernando Ribeiro, profissional com larga experiência no setor de locação, que já atuou em empresas como Best Fleet, Unidas e Arval, e que passa a ocupar o cargo de diretor de Supply. Com foco nos motoristas de aplicativos, a Kovi quer desburocratizar o acesso ao veículo como ferramenta de trabalho, por meio da locação. "Não exigimos cartão de crédito e nem checamos se o nome da pessoa está no SPC", diz Milani. A Maestro Frotas, por sua vez, segue em sua trajetória de crescimento, amparada na realização de investimentos na ampliação da frota. No ano passado, a companhia anunciou a aquisição da Locarcity, locadora mineira também focada no mercado corporativo. O negócio permitiu à Maestro ampliar sua frota dos quase 3 mil para cerca de 4 mil veículos, e crescer 38% em receitas de locação com esta aquisição, fortalecendo sua atuação regional. Já no 1º semestre deste ano, a empresa registrou crescimento acentuado, de 63%, na receita de locação, e de 75% no Ebitda, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

19 de Setembro de 2019 (12:34)

Publicação: Money Times - Notícias

Queda das vendas de veículos na Europa é ruim para Iochpe Maxion e Metal Leve, diz Bradesco

As vendas de veículos na Europa sofreram queda de 3,2% de janeiro a agosto ante o mesmo período de 2018, de acordo com a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (Acea). A Bradesco Corretora ressalta que são notícias ruins para as empresas Iochpe Maxion (MYPK3) e Mahle Metal Leve (LEVE3), uma vez que os dados confirmaram a tendência negativa do setor automotivo europeu.

Na mesma base comparativa, as empresas VW, PSA, Renault, KIA e FCA apresentaram quedas de 4,5%, 0,4%, 4,7%, 0,1% e 12,1%, respectivamente.

A Bradesco Corretora recomenda compra para a Iochpe, com preço-alvo por ação de R$ 30, e venda para a Metal Leve, com preço-alvo de R$ 22.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Vendas agregadas ao caminhão já são necessidade

Iracemápolis, SP - Agregar itens de conectividade, digitalização, serviços de telemetria e de manutenções programadas passaram a ser mandatórios para as fabricantes de caminhões, movimento encontrado, também, no segmento de automóveis. O passo que a Mercedes-Benz deu com a nova geração do extrapesado Actros comprova a tendência - algo que, segundo Schiemer, veio para ficar:

“Nosso negócio já é muito mais do que vender caminhões. Por isso temos que começar a oferecer esses serviços, cuja demanda crescerá nos próximos anos, até porque a interação do homem com a máquina é cada vez maior".

A nova geração do Actros traz ao País o primeiro caminhão digital e conectado da Mercedes-Benz. Schiemer acredita que a participação no segmento, para a M-B algo em torno de 30%, deverá crescer com a nova geração - embora ele respeite a concorrência: “Temos que vencer dia após dia para crescer, mas sabendo que nossos concorrentes também trabalham forte".

De todo modo o caminhão foi lançado na hora certa e momento certo, segundo o vice-presidente de vendas e marketing Roberto Leoncini: “O mercado está em uma ótima recuperação e a expectativa para economia do País é semelhante".

O crescimento do agronegócio, que tem puxado as vendas de caminhões extrapesados, é outro fator considerado positivo pelo executivo: “Esse modelo tem uma demanda grande do agronegócio por causa da sua robustez: ele encara terrenos de difícil acesso, onde os caminhões dos meus concorrentes sofrem mais para operar".

Leoncini acredita que a venda da geração antiga e da nova do Actros somarão mais de 6 mil unidades até dezembro. Para o mercado geral o executivo também tem boas expectativas:

"O volume de vendas em 2019 já é quase igual ao do ano passado. Nossa projeção a de é que o mercado supere as 90 mil unidades comercializadas, sendo que a expectativa do início do ano girava em torno de um volume mais próximo dos 80 mil caminhões".

No ano os extrapesados representam 60% das vendas, participação jamais vista no passado, segundo Leoncini, que espera um recuo dessa fatia quando outros segmentos retomarem o crescimento de maneira mais forte.

Para 2020 Leoncini projeta mais um ano de crescimento nas vendas de caminhões, com expectativa de recuperação da economia: "Esperamos que o ano que vem seja ainda melhor, com a aprovação das reformas que o governo está trabalhando".

Para o novo Actros a expectativa é que ele represente de 40% a 60% das vendas e que a geração antiga fique com a outra parcela.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Tecnologia é a aposta da Mercedes-Benz no novo Actros

Iracemápolis, SP - A Mercedes-Benz apostou forte em tecnologia, conectividade para prestação de serviço e segurança na nova geração do caminhão extrapesado Actros, apresentado na noite de quarta-feira, 18, em seu campo de provas em Iracemápolis, SP. Tanto o interior do veículo, que conta de série com um inédito quadro de instrumentos totalmente digital em uma tela de 10,2 polegadas, quanto a quantidade de equipamentos e serviços oferecidos colocam o caminhão em patamar elevado no segmento.

Segundo Philipp Schiemer, presidente e CEO da Mercedes-Benz para a América Latina, o lançamento marca o início de uma nova era da companhia no País: “É um marco para a Mercedes-Benz no Brasil. Com certeza veremos essas e outras novas tecnologias nos demais modelos que vendemos por aqui: é uma questão de tempo"

A linha Actros oferece kit multimídia também com tela de 10,2 polegadas, sensível ao toque e colocada no meio do painel para fácil acesso ao motorista, que possibilita espelhar smartphones. Junto com a digitalização, um passo à frente na conectividade: Schiemer disse que três pilares sustentaram o desenvolvimento dessa nova geração: evitar paradas não programadas, oferecer um gerenciamento mais eficiente na frota dos clientes e entregar suporte em tempo real.

O sistema Uptime, conectará rede, frotistas e motoristas para que todos tenham as informações de determinado veículo em tempo real, recebendo avisos de eventuais manutenções e outras informações. Será oferecido junto com os programa de manutenção na rede de concessionária - na Europa está disponível desde 2006 e já tem adesão em 30% das vendas.

O Habbl é um aplicativo dedicado à gestão logística, conectando embarcador, transportador e cliente final e possibilitando que todos acompanhem em tempo real o trajeto da mercadoria. Já o Jornada da Estrada registra todas as informações da condução do motorista durante o percurso, como tempo de rodagem - assim, alerta a necessidade uma parada para descansar.

Semelhante, o Liga na Estrada é uma espécie de jogo: registra os dados de condução de cada motorista em uma liga, que, por meio de diversos parâmetros, faz uma classificação dos motoristas. O Vehicle Lens traz um check list de itens do caminhão que devem ser verificados antes de sair para rodar, principalmente se o veículo muda de motorista durante o período em que opera.

O Remote Truck fecha a lista dos aplicativos lançados para o novo Actros e traz algumas informações do veículo, assim como funcionalidades da cabine, para que o motorista tenha acesso no seu smartphone.

Segurança

- A nova geração do Actros oferece piloto automático preditivo, junto com o adaptativo. Ou seja, com base no veículo da frente e em mapas integrados, o sistema pode acelerar e frear o caminhão. Ele antevê em dois quilômetros aclives e declives, o que possibilita preparar o veículo para estas situações.

O novo caminhão oferece também frenagem autônoma para evitar atropelamento de pedestres e objetos em movimento, como motocicletas e bicicletas, que para completamente o caminhão em até 50 km/h, por meio de um sistema que usa uma câmara no para-brisa e um radar atrás do para-choque para mapear a rota à frente. Outra novidade é o airbag para o motorista, que será oferecido como opcional pela primeira vez no Brasil em um caminhão da Mercedes-Benz.

O Actros ainda dispõe de alerta de fadiga para o motorista, alerta de ponto cego visual e sonoro, alerta de mudança involuntária de faixa, controle de estabilidade, freio de mão eletrônico e carregamento de smartphone por indução.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Mercedes-Benz apresenta a nova geração brasileira do Actros

Iracemápolis, SP - O fruto de parte do investimento de R$ 1,4 bilhão aplicado pela Mercedes-Benz em sua fábrica de São Bernardo do Campo, SP, foi apresentado na pista de testes de Iracemápolis, SP, na noite de quarta-feira, 18: a nova geração do extrapesado Actros, com cabine totalmente reformulada e agora em linha com a vendida na Europa.

O presidente Philipp Schiemer disse que algumas mudanças na cabine - que é produzida em Juiz de Fora, MG - foram feitas com relação ao modelo europeu no sentido de adaptar o caminhão ao mercado brasileiro. E superaram as expectativas:

“Foram algumas mudanças na aerodinâmica para atender melhor os clientes brasileiros, por causa das características de alguns implementos por aqui. Como essas alterações agradaram o mundo todo, exportaremos essa cabine para outros mercado - até para a Europa, que terá versão europeia e a brasileira a disposição dos clientes".

O motor segue o OM 460 da geração anterior, mas com novo turbocompressor e duas novas calibrações, 450 cv e 480 cv. A primeira equipará uma versão inédita na família Actros: a primeira 4x2 dedicada a transportadores de cargas grandes com pouco peso, que se juntará as versões 6x2 e 6x4, que podem usar motor de 480 cv e de 510 cv. Outra novidade dos motores dessa geração é o tempo da troca de óleo, que segundo a Mercedes-Benz, aumentou em 20%.

A decisão de manter o motor da geração anterior tem outra explicação: por um ano a rede M-B seguirá vendendo a geração anterior e a nova ao mesmo tempo, como explicou o vice-presidente de vendas e marketing Roberto Leoncini. "Mantivemos o motor na nova geração para que a antiga continue com bom valor de revenda e para facilitar o acesso a componentes de manutenção".

Todas as versões da nova geração são equipadas com o novo câmbio automatizado G291 Powershift 3 - até o momento importado dos Estados Unidos, mas está na mira da companhia a produção na fábrica de SBC. Segundo a Mercedes-Benz a transmissão colabora para a redução de consumo de até 12% desta geração na comparação com a anterior, pela sua maior capacidade de selecionar a marcha ideal para o motorista e por causa dos três novos modos de condução: economy, standard e power.

Contribuiu também com o consumo a redução de peso, que em algumas versões chega a 400 quilos, graças a mudança de alguns materiais usados na produção e de alguns componentes, como a nova suspensão metálica Global TufTrac, desenvolvida especialmente para o Brasil, mais leve e mais robusta que a anterior, e o novo eixo das versões 4x2 e 6x2, que é 108 quilos mais leve que o usado na geração passada.

A nova geração do Actros também promete uma redução de até R$ 6 mil nos custos de manutenção preventiva e de itens de desgaste, queda de 50% nas paradas programadas para troca de componentes e o melhoria no tempo de revisão em 15%.

Leoncini ponderou que a Fenatran será um bom termômetro para medir a expectativa de vendas desta nova geração: "Acredito que nossos clientes com uma visão mais inovadora já vão encomendar os novos caminhões, enquanto os mais conservadores comprarão por mais um tempo a geração antiga. Dos grandes frotistas eu espero uma mudança gradativa, com a compra inicial de algumas unidades do novo para testes".

Este lançamento será, naturalmente, a principal atração da companhia na Fenatran em outubro, quando a empresa também revelará o preço dos novos caminhões. De acordo com o vice-presidente, é a hora da companhia trabalhar para mostrar aos clientes as vantagens de comprar a nova geração: "Temos experiência de sobra para fazer isso a partir de agora".

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Volkswagen T-Cross chega ao México

São Paulo - O México passou a ser novo destino do Volkswagen T-Cross, SUV produzido em São José dos Pinhais, PR. Desde este mês as versões Trendline, Comfortline e Highline com motor 1.6 MPI e transmissão automática e manual desembarcam no país da América do Norte, com quem o Brasil possui acordo de livre-comércio de veículos.

Segundo o presidente Pablo Di Si a expectativa é a de enviar para o México cerca de 6 mil unidades do modelo: “Em 2020 o T-Cross chegará também à África, totalizando cinquenta países".

Saveiro, Gol e Virtus são outros veículos exportados pela VW do Brasil para o México - do sedã, cujos embarques começaram em julho, a previsão é exportar cerca de 8 mil unidades.

De janeiro a agosto a Volkswagen foi a responsável por 25% das exportações brasileiras de automóveis e comerciais leves.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

VW apoia projeto de sustentabilidade na Oceania

São Paulo -- O Grupo Volkswagen anunciou que apoia projeto de proteção climática na região da Oceania. O primeiro, Katingan Mentaya, diz respeito à proteção florestal na ilha indonésia de Bornéu -- a empresa compensará as emissões de CO2 da cadeia de suprimentos com a produção e entrega do novo veículo elétrico ID.3. No projeto a montadora terá como parceira a Permian Global, desenvolvedora de projetos de proteção e restauração de florestas tropicais.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Vendas na União Europeia caem no acumulado do ano

São Paulo - As vendas de veículos nos países integrantes da União Europeia apresentaram queda de 3,2% até agosto, na comparação com igual período no ano passado. Na região, nos oito meses, foram comercializadas 10,9 milhões de unidades.

O maior volume vendido foi na Alemanha, 2,5 milhões de unidades. O resultado foi um pouco maior do que o registrado no ano passado, 0,9% de avanço.

Houve queda, no entanto, em outros grandes mercados europeus. No Reino Unido, segundo maior mercado em volume na região, foram vendidas 1,5 milhão de unidades, queda de 3,5%.

Na França 1,5 milhão de veículos, queda de 3%. Na Itália também houve recuo de 3% sobre o janeiro-agosto de 2018, somando 1,3 milhão de unidades.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Nissan inaugura concessionária em Volta Redonda

São Paulo - A Nissan inaugurou concessionária em Volta Redonda, RJ, sua segunda revenda na região sul-fluminense - e a segunda do Grupo Oca, representante de Resende, RJ, também sede da fábrica brasileira da companhia.

São mais de 180 concessionárias Nissan espalhadas pelo País.

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Mini confirma lançamento do novo Clubman

São Paulo -- A Mini confirmou o lançamento do novo Clubman no mercado brasileiro no último trimestre do ano. Os pormenores a respeito de preço e das suas especificações técnicas, segundo a empresa, serão revelados na época.

Por ora a companhia afirma que o novo modelo teve seu desenho renovado e que dispõe de avançada tecnologia de conectividade. A Mini informou, ainda, que o novo Clubman se destaca "como um veículo altamente exclusivo e de estilo singular".

19 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Toyota investirá R$ 1 bilhão em Sorocaba

São Paulo - A Toyota investirá R$ 1 bilhão na fábrica de Sorocaba, SP, para a produção de um novo modelo que será lançado no mercado brasileiro em 2021 e que demandará a contratação de trezentos colaboradores. O anúncio foi feito em Toyota, no Japão, com a presença do governador de São Paulo João Doria.

O valor alcança o piso estabelecido para uma fabricante de veículos se enquadrar ao IncentivAuto, programa criado pelo governo estadual que prevê desconto de ICMS na venda de veículos frutos de novos investimentos em São Paulo. Mas não atende a outra regra: o número de empregos - serão trezentas contratações e o programa exige quatrocentas. Ao menos por enquanto, a Toyota não aderirá ao IncentivAuto.

O parque de fornecedores construído ao lado do terreno, que abriga onze empresas, também deverá atrair novos investimentos e gerar novos empregos.

Em nota a empresa ofereceu poucos pormenores acerca do novo modelo que, segundo apurou, será um SUV compacto, para competir em um segmento no qual a Toyota ainda não participa.

A fábrica de Sorocaba, que produz as famílias Etios e Yaris, será ampliada - o projeto inicial já previa essa possibilidade, de acordo com a empresa. A capacidade de produção, hoje, é de 108 mil unidades/ano em dois turnos - a Toyota chegou a abrir um terceiro turno, encerrado há alguns meses.

Com o novo investimento a Toyota soma, nesta década, R$ 6,7 bilhões em investimento no Brasil: na construção e modernização das fábricas de Sorocaba e a de motores em Porto Feliz, SP, e a modernização de Indaiatuba, SP, de onde sai, agora, a nova geração do Corolla. A companhia construiu, também, um Centro de Distribuição em Suape, PE.

Em nota Masahiro Inoue, CEO da Toyota para a América Latina e Caribe, afirmou que a Toyota segue comprometida com o desenvolvimento da indústria automotiva brasileira e com o Brasil. “Esse anúncio de mais um investimento que fazemos no Brasil é o resultado do trabalho conjunto de nossos colaboradores, fornecedores, concessionários, sindicatos e o governo e reforça nossa visão de longo prazo no País".

19 de Setembro de 2019 (08:48)

Publicação: Fator Brasil - Automotivo

Roger Corassa é novo diretor de desenvolvimento de rede da FCA

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) anuncia que Roger Corassa assume, a partir do dia 18 de setembro (quarta-feira), a Diretoria de Desenvolvimento de Rede para a América Latina. Ele substitui no cargo a Tai Kawasaki, que deixou a empresa.

Roger Corassa tem amplo conhecimento do setor automotivo. Ingressou na Fiat em 1994 e acompanhou o processo de associação, aquisição e finalmente fusão entre os grupos Fiat e Chrysler, que deu origem à FCA. Aos 45 anos, Roger Corassa é graduado em Administração de Empresas, com pós-graduação em Marketing e especialização em gestão de redes de distribuição.

Começou a trabalhar na Fiat Automóveis como assistente de vendas e desenvolveu sua carreira até tornar-se diretor de Operações Comerciais, respondendo pelas vendas no varejo das marcas Fiat, Jeep, Chrysler, Dodge e Ram. Nos últimos meses, desempenhava a função de diretor comercial do Banco Fidis, instituição que financia as vendas da FCA às suas redes de distribuição.

Como diretor de Desenvolvimento de Rede, Roger Corassa terá como prioridades a melhoria dos índices de qualidade de atendimento e satisfação dos clientes em vendas e pós-vendas, a implantação de processos de melhoria contínua nas redes através do sistema World Class Dealer (WCD), o avanço dos negócios digitais nas concessionárias, além de ênfase na capacitação da força de vendas e pós-vendas.

O objetivo é assegurar aos clientes finais uma experiência de valor no ambiente das concessionárias. Queremos garantir uma jornada do cliente totalmente satisfatória, destaca o diretor.

19 de Setembro de 2019 (08:07)

Publicação: Fator Brasil - Siderurgia

Metso lança tecnologias inovadoras para mineração

Fabricante aproveita edição da Exposibram 2019, que aconteceu em Belo Horizonte, na semana passada, para apresentar uma solução completa para gestão de rejeitos e caçamba inédita para caminhões fora de estrada.

No ano em que completa 100 anos no Brasil, a Metso aposta em tecnologias inovadoras para resolver os desafios do setor mineral. Dois deles, em particular, foram o foco da companhia na Exposibram: o problema da gestão de rejeitos e o de transporte dentro da mina. Explicando: no primeiro caso, a Metso anunciou uma solução completa para a gestão dos rejeitos. No segundo, a novidade é uma caçamba híbrida de aço e borracha.

A companhia também aproveitou o evento, realizado na semana passada em Belo Horizonte, para anunciar oficialmente a abertura do novo centro de serviços de Pedro Leopoldo (MG), focado na reforma de equipamentos como britadores e peneiras, e para destacar a criação do Performance Solutions, que disponibiliza todo o conhecimento acumulado da Metso para as empresas do setor mineral.

Gestão de rejeitos contribui para reduzir desafios das barragens " Três tecnologias compõem o portfólio de gestão de rejeitos apresentado pela Metso na Exposibram. O destaque é o inovador filtro prensa VPX, modular e que viabiliza a recuperação de até 90% de água e a passagem de um material com menos de 7% de umidade na pós-filtragem. O sistema pode ter uma capacidade nominal para até 36m em volume e tem acionamentos totalmente eletromecânicos. O portfólio é composto também pelos espessadores de placas inclinadas e pela linha de hidrociclones para classificação de finos úmidos (linha MHC).

Novas caçambas reduzem peso entre 20% e 30% " O Metso Truck Body marca a entrada da Metso em um novo mercado, o de caçambas híbridas para caminhões fora de estrada. Trata-se de uma caçamba mais leve que as tradicionais fabricadas somente em aço. Ela combina o material com revestimentos especiais de borracha que podem aumentar a vida útil do componente em até seis vezes e, mais importante, reduz o peso do componente entre 20% e 30%. Com isso, os caminhões podem carregar mais carga nominal. Os ruídos, por sua vez, são diminuídos em 97% e, a vibração, pela metade.

Centro de serviços já funciona desde 1 de setembro " O novo centro de serviços da Metso em Pedro Leopoldo (MG) começou a operar no último dia 01 de setembro. O centro será focado na reforma de equipamentos como britadores e peneiras para os setores de mineração e agregados. O escritório da Metso, até então em Belo Horizonte, também foi transferido para Pedro Leopoldo.

Performance Solutions combina produtos e serviços " A nova área da Metso adota todo o know how da companhia em produtos e serviços para uma oferta integral e personalizada. A ideia é oferecer melhorias de desempenho e resultados de negócios mensuráveis para a indústria de mineração. A base do Performance Solutions são estudos detalhados de engenharia e análise de dados, os quais permitem a identificação de melhorias nos clientes.

19 de Setembro de 2019

Publicação: Unica - Notícias

19 de setembro marca a história da mobilidade sustentável no Brasil

Há 40 anos, a adesão das indústrias automobilísticas ao Pró-álcool revolucionou o mercado de carros brasileiro.

Salão do automóvel 1979

A atitude tomada naquele setembro de 1979 possibilitou a expansão da fabricação de veículos movidos a etanol, na época chamado de álcool, e a criação de uma política pública que previu a adição do biocombustível na gasolina.

Passadas quatro décadas, todos os veículos brasileiros rodam com etanol. Hoje, 29,5 milhões - 78% da frota - têm a capacidade de usar somente o biocombustível com a tecnologia flex. O restante, pouco mais de 10 milhões de veículos, rodam com 27% de etanol misturado à gasolina.

O etanol é o combustível do presente e do futuro. Aliado do meio ambiente, emite até 90% menos de CO2 quando comparado à gasolina. Abastecer com etanol representa menos poluição nas cidades brasileiras. Nos últimos 15 anos, o uso do biocombustível fez com que 530 milhões de toneladas de CO2 deixassem poluir o meio-ambiente.

19 de Setembro de 2019

Publicação: Logweb - Notícias

Setor automotivo é um dos pioneiros da adaptação de fábricas para a indústria 4.0, afirma Mitsubishi Electric

Em meio ao cenário adverso da produção industrial no Brasil, o setor automotivo busca ganhar eficiência e produtividade. Entre as diferentes medidas adotadas para atingir esse objetivo, está o investimento bilionário em modernização de fábricas. Uma pesquisa da KPMG mostra que estabelecer padrões de manufatura 4.0 é a prioridade de executivos do setor no Brasil, sendo elencada por 42,6% deles.

Rumo a esse objetivo, está o desenvolvimento de ferramentas ligadas à automação industrial. Produtos como controladores, interfaces homem-máquina, drives e robôs são apenas algumas das soluções utilizadas para ganhar mais produtividade no dia a dia da produção.

Com o uso de robôs para realizar tarefas repetitivas, por exemplo, é possível ganhar em qualidade de fabricação de produtos, assim como na redução de tempo e recursos com perdas. Na América Latina, essa é uma consciência já adquirida por profissionais do setor, especialmente no Brasil e no México, afirma Thiago Turcato, coordenador de suporte técnico da Mitsubishi Electric.

De acordo com o especialista, o uso intensivo de automação é proporcional ao tamanho de cada planta. E a pressão por otimizar custos faz com que a robotização seja disseminada cada vez mais rápida entre diferentes países.

Com a pressão de controle de custos e trocas de melhores práticas entre plantas de um mesmo grupo, vemos uma tendência de padronização de soluções. Por exemplo, uma montadora constrói uma planta no México e, caso tenha a intenção de vir para o Brasil, vai montar a estrutura de maneira similar, considerando os êxitos obtidos no outro país. A partir do momento em que a nova planta entra em operação, as melhores práticas obtidas aqui serão replicadas para outras e assim sucessivamente, explica.

Apesar do avanço e do otimismo, ainda há um longo caminho a trilhar. De acordo com o Índice Global de Inovação (IGI) deste ano, que analisa 129 países, o Brasil ocupa apenas o 66º lugar duas posições abaixo do local conquistado em 2018. O resultado, é claro, reflete no panorama industrial do país.

Ainda vai levar certo tempo para que o país alcance o nível de países como Estados Unidos e Japão. Contudo, o ambiente no setor automotivo pode ser usado como benchmarking, especialmente para setores que apresentam muitas oportunidades de automação, como o de alimentos e bebidas. Esperamos que o ambiente no país continue próspero para a geração de negócios nos próximos anos, finaliza Turcato.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Marcopolo investe mais R$ 14 milhões no Espírito Santo

Caxias do Sul, RS - A Marcopolo concluiu mais uma fase do projeto de seu complexo industrial localizado em São Mateus, ES, e ampliou a produção de veículos de suas marcas. Alinhada ao novo conceito de eficiência e produtividade das unidades, a empresa passou a atuar por segmento de produto, conforme necessidade dos clientes, fabricando também ônibus urbanos e escolares.

O investimento superior a R$ 14 milhões teve foco na verticalização da produção para melhorar a aplicação de recursos e diversificar o mix de veículos para os mercados interno e externo. “Essa nova forma de atuação permite a integração dos processos de compra, produção, distribuição e venda. Também colabora para o desenvolvimento de fornecedores locais, fortalecendo a indústria capixaba", destaca Lusuir Grochot, diretor de operações industriais da Marcopolo.

A planta de São Mateus tem quinhentos colaboradores e produz cinco unidades por dia das marcas Marcopolo e Volare. Este é o maior volume desde o início das atividades, em 2014, para atendimento dos mercados das regiões Norte e Nordeste. “Pretendemos crescer ainda mais, mas isto dependerá do aquecimento do mercado e da evolução das vendas", complementa Rodrigo Pikussa, diretor do Negócio Ônibus.

O complexo de São Mateus recebeu investimentos de R$ 100 milhões e representou a instalação da primeira montadora de veículos no Espírito Santo. Inicialmente tinha foco na fabricação de veículos leves para o transporte de passageiros da marca Volare. Ao longo desses cinco anos foram montadas mais de 2 mil unidades.

Recentemente, a unidade recebeu as certificações ISO 14001, de gestão ambiental, e OHSAS 18001, de saúde e segurança no trabalho, além de manter a ISO 9001, de gestão da qualidade, versão 2015.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Internet 4G ganha força nos automóveis

São Paulo -- A conectividade ganha força no mercado de automóveis com a entrada das grandes operadoras de telecom na concorrência. No mês passado a General Motors apresentou o novo Chevrolet Cruze, primeiro veículo local que tem opção de rede 4G nativa fornecida pela Claro na sua versão topo de linha, a Premier. A Vivo, por sua vez, deverá ir mais além com o Vivocar, serviço de conexão à internet que será lançando no País até o fim do mês e que é compatível com veículos de qualquer marca.

O 4G no automóvel é novidade por aqui, mas é possível notar o potencial do negócio pelo menos no sentido de transformar a conectividade de um serviço de nicho para algo com escala. A GM colocou internet nativa também na nova geração do Onix, veículo mais vendido do Brasil. Caso repita o desempenho comercial da geração anterior, pode levar a reboque a aplicação da rede 4G e ajudar a tecnologia a se popularizar onde ainda não é conhecida.

Carlos Zarlenga, presidente da General Motors, mostrou durante o lançamento que a empresa trabalha de certa forma com essa possibilidade ao dizer que "o consumidor do Onix acostumou-se com as inovações e itens de conectividade e não abrirá mão disso".

O serviço de conexão que a Vivo lançará tem tamanho suficiente para poder complementar a ofensiva da internet dentro dos automóveis que atendem às demandas da base do consumo. Isso porque, neste caso, a conexão se dá por meio de um aparelho que contém chip de rede 4G, o qual pode ser instalado em qualquer veículo com entrada OBD2 -- aquela por onde reparadores acessam dados de bordo --, o que aumenta de forma significativa o tamanho do mercado a ser explorado.

O modelo hoje é comum em veículos comerciais rastreados por sistemas de gestão de frota, mas, neste caso, a Vivo pretende explorar o segmento de automóveis, ou B2C, como disse Rodrigo Gruner, seu diretor de serviços digitais e inovação: "É uma tendência na área automotiva ter coisas mais conectadas. Na nossa visão o carro é a primeira etapa dessa evolução porque ele é uma extensão natural das nossas vidas e das nossas casas".

A operadora aguarda o lançamento oficial do serviço para divulgar mais pormenores a seu respeito. Mas o que se sabe, por ora, é que existe a possibilidade de que seja vendido também na rede da operadora, disse Gruner, sem citar outros canais.

A Vivo tem hoje 1,6 mil lojas, dentre próprias e de revendedores, e 12 mil pontos de vendas espalhados por 3,1 mil cidades, e essa capilaridade pode ser outro trunfo para que a tecnologia 4G ganhe escala. Segundo Gruner, da Vivo, são três os públicos do Vivocar: "Famílias que já compartilham internet dentro do carro com roteador de celular, pessoas que gostam de carro, os car lovers, que querem ter informações sobre seu veículo no celular, e um terceiro grupo, motoristas de taxi ou de aplicativos, que querem prestar um serviço melhor para seus passageiros".

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Schaeffler mostra tecnologias de redução de consumo

São Paulo - A Schaeffler aproveitou os holofotes do IAA, o Salão do Automóvel de Frankfurt, Alemanha, para mostrar ao mercado tecnologias que prometem redução do consumo de combustível. De acordo com Matthias Zink, seu CEO, “as soluções que nós apresentamos possibilitarão economias de até 15%, dependendo do motor e da classe de veículo. Estamos oferecendo aos nossos clientes muitas melhorias para atender a requisitos legais e também para reduzir emissões de CO2 na prática".

Dentre elas a nova versão do sistema de acionamento de válvulas variável UniAir, que é 30% mais leve do que a versão anterior, o sistema de exaustão e-Rocker e o variador de fase elétrico ECP.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Daimler e CATL fecham acordo para módulos de bateria

São Paulo -- A Daimler Truck & Buses e a fabricante chinesa de baterias CATL, Contemporary Amperex Technology, assinaram acordo global para o fornecimento de módulos de células de bateria de íon de lítio para veículos elétricos. De acordo com o comunicado divulgado os primeiros modelos que receberão os módulos serão os Mercedes-Benz eActros, Freightliner eCascadia e Freightliner eM2, cuja produção em série deverá começar a partir de 2021.

A Daimler receberá os módulos e fará a montagem da bateria, assim como dos sistemas para uso, na Alemanha e nos Estados Unidos. Gesa Reimelt, chefe da área de e-mobility, disse que a empresa é líder mundial na venda de caminhões e também quer ser a primeira a vender veículos de transporte com zero emissão de poluentes, com produção em série e em escala global.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Wega tem novo gerente nacional de vendas

São Paulo - A Wega Motors indicou Thiago Messuca para o cargo de seu gerente nacional de vendas. O executivo, graduado em administração de empresas, tem mais de vinte anos de experiência no segmento automotivo. Segundo Cesar Costa, diretor de marketing e comercial, a promoção de Messuca faz parte dos planos de expansão e conquista de mercado que estão sendo executados pela fabricante de filtros:

“Até o fim de 2019 temos a previsão de crescimento de 22%, uma excelente estimativa de mercado atualmente".

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Ruben Bisi é o novo presidente da Fabus

São Paulo -- Ruben Antonio Bisi assumiu a presidência da Fabus, a associação nacional dos fabricantes de ônibus, para o biênio 2019/2020, sucedendo a José Antonio Fernandes Martins. O novo presidente terá como responsabilidade atuar junto a entidades governamentais, empresas automotivas, associações setoriais e a outras atividades para colaborar com o desenvolvimento e o crescimento da indústria brasileira de ônibus.

Bisi é graduado em engenharia pela UCS, Universidade de Caxias do Sul, com MBA em gestão organizacional pela FGV. O executivo trabalhou por mais de 45 anos na Marcopolo, em áreas como engenharia, marketing, estratégia, negócios internacionais e industrial.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Roger Corassa asume o desenvolvimento de rede da FCA

São Paulo - A Fiat Chrysler Automóveis indicou Roger Corassa como novo diretor de desenvolvimento de rede para a América Latina. O executivo iniciou no cargo na quarta-feira, 18, e sucede a Tai Kawasaki, que deixou a empresa.

Corassa ingressou na Fiat em 1994 e acompanhou o processo de associação, aquisição e finalmente fusão dos grupos Fiat e Chrysler, que deu origem à FCA. O novo diretor tem 45 anos e é graduado em administração de empresas.

Nos últimos meses desempenhava a função de diretor comercial do Banco Fidis, instituição que financia as vendas da FCA às suas redes de distribuição.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Nissan registra aumento de 30% nas vendas para PcD

São Paulo - A Nissan registrou crescimento de 30% nas vendas para o público PcD de janeiro a agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. O Nissan Kicks foi o modelo mais vendido nos primeiros oito meses do ano, seguido pelos sedãs Sentra e Versa e o hatch compacto March. A companhia não informou, no entanto, o volume vendido no período para esse público.

Segundo Alexander Ferguson, diretor de vendas diretas, atender às necessidades do consumidor é uma prioridade e o crescimento registrado “confirma o grande potencial dos nossos modelos para o segmento". A empresa anunciou que participará do Mobility Show São Paulo, evento que começa na sexta-feira, 20, e vai até o domingo, 22.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Agência AutoData - Notícias

Audi lança os novos A6 e A7 na ArtRio

São Paulo - Patrocinadora oficial da ArtRio, feira de arte internacional do Rio de Janeiro, RJ, a Audi aproveitará o evento, que será realizado de 18 a 22 de setembro, para expor os modelos A6 e A7. Segundo a fabricante, ambos trazem a nova linguagem de design e digitalização da família A.

Segundo Cláudio Rawicz, diretor de comunicação e marketing, a ArtRio é um dos eventos mais importantes do gênero em toda a América Latina: “Decidimos participar porque entendemos que Audi e arte tem tudo a ver. Afinal os carros nascem como uma arte, desenhada cuidadosamente pelos designers em uma folha de papel".

A Art Rio, reconhecida como um dos principais eventos de arte da América Latina, expõe obras de artistas renomados e de outros que estão iniciando a carreira. Na nona edição a feira apresenta curadoria das principais galerias do Brasil e do mundo.

18 de Setembro de 2019 (10:00)

Publicação: Valor Econômico - Notícias

Governo lança programas de fomento à pesquisa no setor automotivo

O governo vai lançar seis programas prioritários para o fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação do setor automotivo, e para solucionar problemas relacionados à produtividade e competitividade, como previsto no Rota 2030 - nova política de incentivo ao setor. A expectativa é de que essas iniciativas recebam até R$ 200 milhões neste ano. Na solenidade, que acontecerá na sede da Anfavea em São Paulo, nesta sexta-feira (20), representantes dos ministérios da Economia e de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, assinarão acordos com cinco entidades, que serão responsáveis pela gestão dos projetos. São elas: Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor médio de recursos destinado por entidade deve ser de até R$ 40 milhões. Fabrice Dimier/Bloomberg O diretor do Sindipeças e representante da entidade no Comitê Gestor do PPP do Rota 2030, Gábor Deák, explicou que a assinatura dos acordos é um marco para setor pois o programa incentiva a investimento em pesquisa, sem dar margem para questionamentos de organismos internacionais como aconteceu no Inovar-Auto (política setorial que antecedeu o Rota 2030). Além disso, na avaliação de Deák, permitirá que os recursos já recolhidos de indústrias que importaram peças que não são produzidas no país comecem a ser destinados para o investimento de pesquisa e inovação. A expectativa é de que no fim de outubro os recursos já cheguem nas entidades gestoras dos projetos.

Para um técnico da equipe econômica, o lançamento dos programas prioritários retira do papel um dos importantes pilares do Programa Rota 2030. A fonte de custeio dos programas prioritários é a contrapartida à isenção do Imposto de Importação prevista no regime de autopeças não produzidas no país, conhecido como ex-tarifário autopeças. Para se beneficiar com a isenção, as empresas habilitadas ao regime especial precisam aportar 2% do valor das importações nos programas selecionados pelo Conselho Gestor dos Programas Prioritários e credenciados pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade. Nesta política as empresas importadoras habilitadas escolhem, um ou mais dentre os programas previamente credenciados e realizam mensalmente os aportes, na proporção de suas importações. Este recurso não passa pelo Governo, uma vez que a importação destas peças, segundo a Lei, é isenta. O governo, com auxílio do Conselho Gestor, faz o acompanhamento e monitoramento da execução dos programas. O diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães, explicou que, caso uma empresa queira desenvolver um projeto de inovação, como uma bateria para um projeto de carro elétrico, por exemplo, será possível se habilitar no Programa Prioritário e, então, procurar uma das cinco entidades selecionadas, que irá ajudar a criar a peça para o carro elétrico. Além de desenvolver projetos, as empresas poderão investir em novas áreas como Internet das Coisas, Manufatura 4.0, Digitalização de Produção e Conectividade.

Siga nossas Redes Sociais

Receba nossas Notícias